sa-ico-1.gifHomesa-ico-1.gifO Haicai e Suas Teorias

O Haicai e Suas Teorias

Pontuação
__________________

Escritores japoneses não usam sinais de pontuação no haicai como os ocidentais, mas empregam o kireji, traduzido como “palavras que cortam”. Como informa Reichhold (2002):

"Palavras como ka ou kana seriam equivalentes ao nosso travessão ou à nossa vírgula. Algumas desses kireji, sendo verbos ou adjetivos, são também usados para dar ênfase ou transmitir uma mensagem de emoção. O uso dessas palavras no haicai japonês ocupa uma ou duas unidades de sons, reduzindo o número de unidades em 6 a 12%".

Conforme a informação acima, o uso de pontuação em um haicai é outra dificuldade que tentamos resolver para atender às nossas necessidades linguísticas. De acordo com Reichhold (2002), considerando-se que o haicai não é uma sentença, o uso de pontuação parece forçá-lo a ser o que não é. Em nossa convivência com o haicai, frequentemente encontramos aqueles que usam um excesso de pontuação ou nenhuma. Há os que usam dois pontos, ponto e vírgula ou travessão no final de um fragmento, ou ainda um ponto para fechar o poema. Qual seria o correto?

Alguns escritores usam esses recursos para dar a pausa necessária entre os fragmentos de sentenças. No entanto, o uso de um ponto não é necessário, porque o haicai não é uma sentença e, portanto, não deveria ser fechado desta forma. Reichhold (2002) afirma que todo haicai que possui um recurso de pausa, como os acima mencionados, pode ser reescrito de forma que a pausa seja naturalmente identificada. Para a autora, um haicai que usa pontuação é um haicai que falhou em preencher sua forma mais básica.